Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



AMOR

por MANUEL COUTO, em 26.04.07

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:45

AMOR

por MANUEL COUTO, em 26.04.07

  Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;

É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;

É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.

Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Luís de Camões

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:44

APRENDENDO

por MANUEL COUTO, em 26.04.07

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:39

APRENDI

por MANUEL COUTO, em 26.04.07

Aprendi que se aprende errando.
Que crescer não significa fazer aniversário.
Que o silêncio é a melhor resposta, quando se ouvem parvoíces.
Que trabalhar significa não só ganhar dinheiro.
Que conquistamos amigos mostrando quem somos.
Que os verdadeiros amigos ficam sempre até ao fim.
Que a maldade se esconde atrás de uma bela face.
Que não se espera a felicidade chegar, mas procura-se por ela.
Que quando se pensa saber tudo quer dizer que ainda não se aprendeu nada.
Que a natureza é a coisa mais bela da vida.
Que amar significa entregar-me por inteiro.
Que um só dia pode ser mais importante que muitos anos.
Que se pode conversar com estrelas.
Que se pode confessar com a lua.
Que se pode viajar além do infinito.
Que ouvir uma palavra de carinho faz bem à saúde.
Que dar uma carinho também faz...
Que sonhar é preciso.
Que se deve ser criança a vida toda.
Que o nosso Ser é livre.
Que o julgamento alheio não é importante.
Que o que realmente importa é a paz interior.
E, finalmente, aprendi que não se pode morrer, para se aprender a viver.

Autor desconhecido mas tem toda a razão.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:37

QUANDO ME LEMBRA

por MANUEL COUTO, em 26.04.07

Quando me lembra: esse sabor que tinha
A tua boca... o eco dos teus passos...
O teu riso de fonte... os teus abraços...
Os teus beijos... a tua mão na minha...

Se tu viesses quando, linda e louca,
Traça as linhas dulcíssimas dum beijo
E é de seda vermelha e canta e ri

E é como um cravo ao sol a minha boca...
Quando os olhos se me cerram de desejo...
E os meus braços se estendem para ti...

Florbela Espanca

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:35

CONTA-ME

por MANUEL COUTO, em 26.04.07

Conta-me historias daquilo que eu não vi...
Conta-me histórias daquilo que não vivi…
Logo acordas
e pedes-me um cigarro que eu não fumo
sonho planos de futuro
Logo juntas a tua roupa
e dizes que a vida está lá fora
Ambos sonhamos vivê-la lado a lado
Ambos vamos vivê-la lado a lado
Ambos vamos construindo a nossa história.

(Adaptação de uma música dos lendários Xutos e Pontapés)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:32

GRANDEZA

por MANUEL COUTO, em 26.04.07

A grandeza de Miguel Torga

Sísifo

Recomeça...
Se puderes,
Sem angústia e sem pressa.
E os passos que deres,
Nesse caminho duro
Do futuro,
Dá-os em liberdade.
Enquanto não alcances
Não descanses.
De nenhum fruto queiras só metade.

E, nunca saciado,
Vai colhendo
Ilusões sucessivas no pomar.
Sempre a sonhar
E vendo,
Acordado,
O logro da aventura.
És homem, não te esqueças!
Só é tua a loucura
Onde, com lucidez, te reconheças.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:30

Segue o teu destino

por MANUEL COUTO, em 26.04.07

Segue o teu destino

Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.
A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nós queremos.
Só nós somos sempre
Iguais a nós-próprios.
Suave é viver
só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.
Deixa a dor nas aras
Como ex-voto aos deuses.
Vê de longe
a vida.
Nunca a interrogues.
Ela nada pode
Dizer-te. A resposta
Está além dos deuses.
Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.

Ricardo Reis

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:22

Pág. 2/2



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D